domingo, 4 de fevereiro de 2007

'Little Children' de Todd Field

Pecados Íntimos, título traduzido de Little Children, seria de facto o nome mais apropriado para este filme, apesar do seu título original se referir ao factor 'crescer' em falta por parte das personagens já adultas retratadas no filme. Também se pode associar a um dos enredos presentes neste filme sobre Ronnie, um pedófilo condenado, mas ao contrário do que se pensa pelo início do filme isto é só um pano de fundo para uma interligação de várias e diferentes histórias, estas sim completando o quadro maior do filme. Pano secundário esse sobre Ronnie que virá a ser o clímax final que, apesar de tudo, é sobrecarregado de optimismo. Mas resumindo, o filme particularmente é sobre arrependimento.

Depois do drama também emocional e depressivo In the Bedroom e baseado na obra de Tom Perrotta, Todd Field retrata num relato intenso, triste e provocante nesta crítica e sátira da sociedade moderna. Numa realização simples e narrado por um desconhecido como se um conto infantil se tratasse. Adultério e os diversos problemas de uma sociedade, tudo psicologicamente errado numa correcta e frontal honestidade nesta pequena cidade de subúrbio, dentro da rotina diária e os variados hábitos comuns.

Ronnie (Jackie Earle Haley) representa o mal dessa comunidade, uma ameaça da sociedade, mas mesmo assim não deixamos de sentir pena por uma personagem simpática e a única que é retratada com amor e simpatia pela mãe, que o ama mesmo apesar de tudo. Mas no meio destes pecados íntimos todos, quem estará em posição de julgar? Sarah (Kate Winslet) e Brad (Patrick Wilson)? Larry (Noah Emmerich)?

Filme que valeu a Kate Winslet e a Jackie Earle Haley as nomeações para os Oscares deste ano nas categorias de melhor actriz principal e melhor actor secundário. O filme também está nomeado para a categoria de melhor argumento adaptado.

Little Children (Pecados Íntimos): 7/10

3 comentários:

Insano disse...

Discordo apenas de uma coisa... acho que não se trata de arrependimento.... mais de más escolhas e respectiva alienação.

Abraço,

Joana C. disse...

É um belíssimo filme.

Só tenho uma coisa a apontar: a Kate Winslet está nomeada para o Óscar de melhor actriz principal, e não secundária ;)

Shivers disse...

Ups... Errata!

Obrigado pelo aviso Joana, já corrigi o erro. É o problema de 'escrever de cabeça'... ;)

Cumprimentos